PARAJAPS

PARAJAPS

Ginástica

20/09/2014

Quanta beleza!

.

Dança, ritmo, acrobacias, controle, equilíbrio, coordenação, graciosidade, simpatia, concentração e muita flexibilidade são alguns dos fundamentos e das habilidades essenciais para ser uma atleta de ginástica rítmica. E tudo isso pôde ser conferido de perto na tarde deste sábado , no ginásio do Sesi, onde teve início esta que é uma modalidade exclusivamente feminina, por isso também, uma das mais charmosas e graciosas entre todas as 20 modalidades presentes na 57ª edição dos Jogos Abertos do Paraná.

As disputas deste sábado aconteceram no individual com os aparelhos:  arco e bola. Nestas categorias, 15 atletas dos municípios de São Pedro do Iguaçu, Maringá, Toledo, Pato Bragado e Cascavel, se apresentaram em busca de oito vagas – no máximo duas para cada cidade- que irão disputar a final neste domingo a partir das 16h35. Ainda no domingo, acontecem as apresentações individuais dos outros dois aparelhos: maças e fita, que também classificam oito atletas para a final que será na segunda-feira (22), a partir das 9h.

Depois das apresentações individuais deste sábado, foi a vez dos conjuntos de 10 maças se apresentarem. Nesta categoria apenas Cascavel, Maringá e Toledo vão brigar pelas medalhas. Os conjuntos são formados por cinco atletas que se apresentaram hoje, e voltam a se apresentar na segunda-feira a partir das 10h. Nesta categoria, a soma das notas das duas apresentações definirá quem ficará com o ouro, prata ou bronze.

.

ARBITRAGEM

A predominância feminina na modalidade não é exclusivamente das atletas, a arbitragem também é composta por mulheres. São oito árbitras frontais, mais duas de linha, uma na súmula e a coordenadora, 12 no total. Segundo a coordenadora de arbitragem da GR, Débora Souza, essa é uma banca mínima, composta de quatro árbitras para cada critério que são execução e dificuldade.

 “A arbitragem não necessariamente precisa ser do sexo feminino, existem competições que homens também trabalham como árbitros. Por ser um esporte feminino, a maioria das comissões de arbitragem geralmente são compostas 100% de mulheres”, explicou a coordenadora.

O número relativamente alto de árbitras se dá pelo fato da modalidade ser rica em detalhes, que fazem a diferença, por isso as árbitras são divididas em dois grupos de quatro e cada grupo avalia um critério.

“Na execução as árbitras avaliam se os movimentos são executados da maneira correta, se não tem muitas falhas, e a dificuldade são as notas dadas de acordo com o grau de dificuldade dos movimentos que as meninas executam”, explicou Débora.  

A coreografia e a sintonia com a música é também um dos critérios mais importantes que as árbitras avaliam.

RESULTADOS

Finalistas Aparelho Arco – Adulto Nível I

1º Morgana Regina Gmach – Toledo

2º Giovana Oliveira Silva - Toledo

3º Maira Yamaguchi – Cascavel

4º Mayara Aline da Silva Machado – Cascavel

5º Giovana Martins Wentz – São Pedro do Iguaçu

6º Rayane Cristina de Oliveira Amorim – Maringá

7º Barbara Honda – Maringá

8º Kamila Victório Bendo – São Pedro do Iguaçu

 

Finalistas Aparelho Bola – Adulto Nível I

1º Morgana Regina Gmach – Toledo

2º Giovana Oliveira Silva - Toledo

3º Maira Yamaguchi – Cascavel

4º Mayara Aline da Silva Machado – Cascavel

Barbara Honda – Maringá

6º Rayane Cristina de Oliveira Amorim – Maringá

7º Giovana Martins Wentz – São Pedro do Iguaçu

8º Luana Letícia Pires – Pato Bragado

 

Conjunto 10 Maças

1º Toledo – 11,150

2º Cascavel – 10,450

3º Maringá – 8,650

COM/SEET

Jogos Abertos do Paraná – Divisão A

Vinícius Moraes

vmfoto7@gmail.com

45 – 9985 1333

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.