PARAJAPS

Parajaps 2017

03/11/2017

Unidos pelo esporte: irmãos medalhistas paralímpicos disputam a Bocha Adaptada

É comum encontrarmos, neste tipo de competição, histórias de superação e de exemplos a serem seguidos. Entretanto, uma particularidade define a história de dois irmãos praticantes da Bocha Adaptada: a coleção de medalhas paralímpicas. Eliseu dos Santos já tem em seu histórico cinco medalhas e Marcelo ganhou sua primeira medalha em sua estreia nas Paralimpíadas do Rio. Ambos competem nesta 6ª edição dos Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná, PARAJAPs, na categoria BC4.

Eliseu já conhece bem o caminho das medalhas paralímpicas. O atleta já participou de três edições, sendo elas: Pequim, em 2008, Londres, em 2012 e no Rio de Janeiro, em 2016. Seu desempenho em todas as edições é invejável, totalizando cinco medalhas. “Em Pequim ganhei medalha de ouro em dupla e bronze no individual. Em Londres eu repeti o resultado de Pequim e no Rio de Janeiro eu ganhei medalha de prata na dupla, foram essas cinco medalhas que eu conquistei nas Paralimpíadas”, conta o atleta.

Eliseu dos Santos em partida pela classe BC4 da Bocha Adaptada (Foto: Thiago Chas/SEET-PR)
Eliseu dos Santos em partida pela classe BC4 da Bocha Adaptada (Foto: Thiago Chas/SEET-PR)

Tendo disputado três Paralimpíadas, Eliseu confessa que cada participação tem um significado diferente e singular. Em Londres, por exemplo, enquanto estava disputando a competição, seu filho nascia no Brasil. “Cada medalha tem um significado e uma emoção diferente. Por exemplo, em Pequim por ter sido a primeira vez que a gente foi disputar essa competição e o Brasil só levou dois atletas. Em Londres, enquanto eu estava competindo lá meu filho nasceu aqui no Brasil, então foi uma emoção muito grande, apesar de eu não poder ter visto ele nascer, eu fui lá e ganhei medalha para poder mostrar para ele no futuro. Aí tem a do Rio que já é outro sentimento, por ser em casa, junto do meu irmão e a torcida estava muito calorosa e vibrando em todas as bolas e isso é o ápice. É a maior competição do mundo no paradesporto e a emoção de estar no pódio, ver a bandeira do Brasil subindo e o teu hino tocando é muito grande”, relata Eliseu.

Marcelo dos Santos, atleta TOP, disputando os PARAJAPs (Foto: Thiago Chas/SEET-PR)
Marcelo dos Santos, atleta TOP, disputando os PARAJAPs (Foto: Thiago Chas/SEET-PR)

Se para Eliseu fazer dupla com seu irmão nas Paralimpíadas do Rio foi uma emoção muito grande, imagine para Marcelo, que começou a prática da Bocha adaptada por influência do irmão mais novo e o tem como uma de suas inspirações no esporte. “Foi através dele. Comecei, no caso, a ajudar ele, que participava de competições e eu iria por lazer mesmo, para ajudar ele. Daí em 2007 o professor foi em casa fazer um trabalho com ele, fez o convite eu acabei aceitando e filiando”, lembra Marcelo dos Santos, que também expressa o sentimento de ganhar a medalha paralímpica. “Eu acho que é o sonho de todo atleta, a gente sempre está trabalhando para buscar chegar em uma competição desse nível. Eu tinha pessoas que sempre busquei inspiração, um deles é o meu irmão e outro é um rapaz de São Paulo, Dirceu, que fazia parte do trio que formamos para disputar a Paralimpíada e ali foi a realização de um sonho, que se concretizou muito bem com a vinda dessa medalha em casa e ao lado do meu irmão dentro de quadra”, explicou Marcelo.

Apesar de atuarem em diferentes clubes, Eliseu jogando por Curitiba e Marcelo por Paranaguá, os irmãos garantem que são adversários apenas dentro da quadra e que fora das quatro linhas tem uma relação muito próxima. “Apesar de atuarmos em clubes diferentes, ele faz o trabalho dele na casa dele e eu o meu na Secretaria de Esportes do Paraná, em um espaço cedido pela prefeitura para a gente trabalhar. De vez em quando, quando a gente tem uma oportunidade sempre estamos juntos para trocar umas ideias e fazer uns jogos juntos de preparação”, finaliza Marcelo.

Eliseu e Marcelo são atletas do Talento Olímpico do Paraná (TOP), programa de bolsas do Governo do Estado, e hoje a dupla brasileira ocupa o segundo lugar no ranking mundial BC4 da Bocha adaptada, segundo a BISFed (Boccia International Sports Federation), que é Federação Internacional da modalidade.

Acompanhe a fanpage dos PARAJAPs: facebook.com/jogosabertospr

Os Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná, PARAJAPs são promovidos pelo Governo do Paraná por meio da Secretaria do Esporte e Turismo e com o apoio do município de Maringá.

COM/JAPs 2017
Thiago Chas
thiagochas@gmail.com
+55 41 99893-4946
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.